Qual cobertura de MO ( matéria orgânica ) vocês tem tido melhores resultados?

cobertura
materia-organica

#1

Experimentei usar três materiais de cobertura diferentes: :grinning:

1. Capim elefante:

  • Prós: Possui uma boa granularidade, fácil de abrir a cobertura para plantio da muda.
  • Contras:
    • Precisa ser triturado e para render, precisa ser um triturador bom, tipo forrageiro.
    • Mineraliza rápido. Para evitar expor o solo, precisa de uma camada de uns 5cm.
    • Libera o que chamamos de “junçá”, que é uma farpinha que entra no tecido e “pinica” muito, é terrível para manejo!

2. Braquiária:

  • Prós:
    • Abundante, pouco exigente, rebrote rápido.
    • Pode ser triturado com roçadeira batendo na pilha na vertical de cima para baixo.
    • Mineralização mais lenta do que capim elefante.
    • Normalmente disponível próximo a área de plantio, facilitando transporte.
  • Contras:
    • Precisa de uma camada > 5cm.
    • Mineralização mais lenta do que capim-elefante, mas ainda mais rápida do que madeira.

3. Madeira triturada:

  • Prós:
    • Material diversificado, com troncos, galhos, folhas. Dependendo da origem, são espécies arbóreas diferentes.
    • Rico em lignina tem decomposição mais lenta.
    • É o material que parece contribuir mais para o aparecimento de Mycelium ( fungo benéfico ) para micorrizas.
    • Tem diferentes granularidade, as mais próximas de “maravalha” são melhores, pois o pó fino dificulta infiltração da água.
  • Contras:
    • Camada menos espessa que outros materiais.
    • Material mais difícil de conseguir devido seu uso em aviários, equínos e compostagem.
    • Caro, aqui uma madereira cobra ~R$25 / m³ ( frete incluso ).

4. Outro: É possível usar serrapilheira de forma integral (trabalhoso) ou parcialmente misturado aos outros materiais. É ótimo aporte de microorganismos à MO. Mas quanto mais vida, mais rápido a cobertura se decompõe.


#2

Usei dois tipos já:

Material de poda triturado- Um espetáculo realmente pela diversidade, granulometria, tempo de degradação. Mas de difícil acesso.

Gliricídia triturada (galhos e folhas)- Relação C/N próxima de 1 o que faz com que decomponha muito rápido. E às vezes a folha em decomposição cola na folha da cultura plantada. Mas a trituração é tranquila pela menor lignificação do material. O rebrote é vigoroso(árvores de 4-5 anos com poda de 90%).

Capim Brachiaria e Serrapilheira integral - Concordo contigo.


#3

Eu indico a Crotalária spectabilis que auxilia no combate ao nematoide e produz muita matéria orgânica mesmo com pouca chuva e também o feijão Guandú (prefiro o taipeiro, mas qualquer um serve) que produz muita matéria orgânica e ainda pode se alimentar. Cortando ele a cima dos 40 cm ele rebrota.
A crotalária ajuda ainda na aeração do solo, possui um sistema radicular profundo e bastando agressivo.
Outra vantagens é a elevada fixação de nitrogênio que estas duas espécies produzem

(Feijão) Guandu-forrageiro

É uma leguminosa de primavera-verão de porte alto e ciclo semi-perene.

Tem como forte característica o sistema radicular agressivo e robusto, que cresce em profundidade, reciclando nutrientes e descompactando solos adensados, fazendo uma subsolagem “biológica”.

É rústica e se desenvolve bem em solos de baixa fertilidade, por isso é utilizada na recuperação de solos degradados.


#4

Depois que trabalhamos com o capim Mombaça, não tem pra ninguém. Capim educado. Rebrote eficiente. Boa produção de mo.
Existe um estudo na NET do comparativo entre vegetação espontânea x feijão Gandu x adubação verde. A espontânea ganha no quesito financeiro e custo de implantação. Mas perde na qualidade… Tem que avaliar bem o que precisa e o que tem. Se for para comprar, compre algo não não precisa tantas interferência quanto o plantio de anuais.