Agrofloresta em vasos

consorcio

#1

Olá pessoal,
Já fiz alguns cursos de agrofloresta e tenho uma noção da questão de fazer consórcios de acordo com o estrato e o tempo de sucessão, mas tenho duas dúvidas.
Quando falamos de tempo de vida de uma planta para pensar na sucessão devemos considerar o tempo que leva para ela estar pronta para ser colhida ou o tempo que ela dura mesmo na natureza?
A segunda dúvida seria sobre como aplicar isso em vasos e no meio urbano. Quem costuma plantar para comer, em pequena escala, por exemplo, não tira o almeirão depois de x dias. A gente tira as folhas grandes e deixa as novas brotarem. Nesse caso, como a agrofloresta funcionaria? O plantio consorciado em que as plantas são substituídas somente no final da vida (depois de dar flor, por exemplo), poderia ser considerado agrofloresta?


#2

Oi Stella,

Então, depende se você tem um objetivo comercial ou para consumo próprio. Você pode até considerar dois tempos diferentes, o início da colheita e o ciclo de vida produtivo, que seria até o estágio de declínio de produtividade da planta devido a floração ou senescência.

Algumas espécies continuam produzindo depois da primeira colheita e são semi-perenes como um espinafre, salsinha, quiabo ou tem rebrota como alho poró, cebolinha. No caso de um plantio comercial, você não venderia a rebrota de um alho poró, pois ele não tem aquele “padrão de mercado” e no caso de um espinafre, depois da primeira colheita você pode querer retirar o pé todo para liberar o espaço para outras espécies que estão chegando para o ocupar o espaço dele na sucessão, em ambos os casos seria o tempo da primeira colheita. Mas se for manter o espinafre, então ele tem um tempo mais longo até floração ou senescência.

Pelo que entendi, você quer fazer um plantio mais doméstico, neste caso certamente você pode manter as plantas por mais tempo no canteiro.

Toda a técnica da sucessão e consórcios é aplicado a vasos e caixotes sim, eu tenho aqui um vaso com coentro, feijão de porco e outros.

Mas, indo no conceito de “agrofloresta” mesmo, neste caso acredito que em vasos vai faltar o componente florestal, você estaria praticando algo mais “agroecológico” no sentido da colaboração entre espécies, mas falta realmente o solo e sucessão arbórea para ser uma agrofloresta.

Talvez, podemos chamar de “horta sucessional”? :wink:


#3

Muito obrigada, Michel! Você foi bem didático :grinning: